sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Meias palavras.

               Não te respondo por sentir agudas dores nas palavras que me dedicas.
            A caneta que agora em minhas mãos paira dolorosamente assegura-te,
            em uma estação qualquer,meu amor por ti se despediu,
            enquanto o teu em lágrimas permaneceu!
            Imploro-te,que não condenes minha atitude
            sensata ou desprezível foi justa.
            Não te dedicarei mais afagos,
            palavras incompletas ou um semblante feliz.
           
            Tu sempre fora ordeiro e mesmo assim pândego,
            contrariando a lógica do correto.
            Me acostumei a ser ventania e maré,
            apropriando o sentindo do oposto em inúmeras situações.
            O inverso se impôs com o verso,formando o que fomos
            desfazendo o sonho do que deveríamos ser.

            Sinto o adocicado sabor  ao dizer,
            tu sofres,lamentas e desloca-se em pensamentos para me encontrar
            enquanto já não sei compreendendo mais o sentido de amar.
            Me entregar em noites de verão a conversas vazias preenche
            um pouco do espaço do vazio de quando me deixastes.
         
             Me despeço ao dize-lô
            O teu amor agora terá também que partir.
            Minhas bagagens se foram naquele vagão.
            As fotografias,sorrisos e tardes de verão se esvaíram de minha mente
            Mas,meu cansado corpo permaneceu.
            O sentimento não partiu mas a ignorância me alcançou
            Também necessito de honrarias para me sentir realizada
            ter te  implorado-me o que tenho e não desejo repartir
             me faz ter a certeza de que em partes acertei.

            Em alguns momentos o sentimento não abastece e re-faz
            o que um ato mal pensando e articulado
            é capaz de destruir!

Luíza P.

5 comentários:

  1. " Me despeço ao dize-lô
    O teu amor agora terá também que partir.
    Minhas bagagens se foram naquele vagão."

    Você escreve muito bem, parabéns! :)

    Tem post novo no blog, passa lá e comenta?
    http://sindromedaeradeouro.blogspot.com.br/2012/09/vamos-desapegar.html

    Beijos =)

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amei o poema Claudio e já o sigo a algum tempo :)

      Excluir
    2. É que não estavas aparecendo.
      Devia ser por e-mail será? Eu desativei.
      Só quis chamar a tua atenção porque teu blog é muito legal.
      Muito obrigado.

      Excluir